Arte e CulturaEntretenimentoVariedades

Casal fundador do Festival Italiano lança livro que conta história de 64 anos de amor

O romance "O amor em uma Nova Veneza: a história de Oswaldo e Edith" conta a trajetória dos idealizadores da festa gastronômica e cultural de Nova Veneza, o empresário Oswaldo Stival e sua esposa Edith Stival. Casal e autores do livro darão autógrafos no dia 6 de junho e obra ficará exposta aos visitantes até o dia 9 (domingo)

Os idealizadores do festival italiano de Nova Veneza, Oswaldo Stival e Edith Stival, escolheram a cidade para realizar o lançamento local do livro “O amor em uma Nova Veneza: a história de Oswaldo e Edith”. A obra de autoria dos escritores Gercyley Batista e Alberto Araújo e do médico Alessandro Stival, neto dos biografados, conta a história de 64 anos de amor do casal de descendentes de italianos e será exposta a partir do dia 6 de junho, às 20h30, logo após a missa de lançamento do 15º festival. Também ocorrerá uma rodada de autógrafos com o casal e os autores.

O livro conta a história dos fundadores do Festival Italiano de Nova Veneza e o lançamento da obra na cidade faz parte do desejo dos autores e do casal em presentear a cidade com o livro que também conta a história local. Aliás, a história do casal se mistura com a de Nova Veneza. Após conquistar destaque no cenário agropecuário, Oswaldo aceitou o desafio de entrar na vida pública na administração da cidade natal, fundada por sua família.

Edith e Oswaldo Stival e Autores – Foto: Cristiano Borges

O livro, além de contar a história do casal, também traz registros da história da imigração italiana para o Centro-Oeste. Os avós de Oswaldo e Edith, imigrantes italianos da região de Vêneto, chegaram ao Brasil, mais precisamente em São Paulo, no final do século XIX. Já na década de 1910, os italianos se fixaram em Goiás, surgindo a cidade de Nova Veneza, localizada a 43 km de Goiânia. O trabalho de pesquisa e resgate histórico da obra ficou por conta do escritor da Academia Goiana de Letras, Ubirajara Galli.

De acordo com Alessandro, o livro resgata e reforça os valores do casamento em um momento em que as relações estão se tornando cada vez mais efêmeras. “A história do casal é um exemplo para aqueles que também querem construir relacionamentos alicerçados em valores da família, como o amor e a confiança”, explica um dos 14 netos do casal que ainda tem cinco filhos e 20 bisnetos.

O lançamento nacional do livro foi realizado em fevereiro, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia. Já o lançamento local, segundo Alessandro Stival, é um marco para a obra por acontecer na terra onde tudo começou. “Fazer o evento e a exposição em Nova Veneza tem um significado ainda mais especial e não poderia acontecer em data mais singular do que o período do festival que eles se empenharam tanto para fundar e, neste ano, chega à sua 15ª edição”, ressalta o coautor do livro.

De acordo com Alessandro, toda a renda obtida com a venda do livro durante o festival será revertida para uma instituição de caridade de Nova Veneza. A obra também será adaptada para as telas de cinema. “O longa metragem já está sendo gestado. O escritor [o também cineasta Alberto Araújo] já fez o pré-roteiro, o desenho do filme e o próximo passo já é a definição do roteiro. Também já começaram a prospecção de atores, do staff e das locações”, explica. Outra homenagem prevista para Oswaldo e Edith Stival será o descerramento de uma escultura do casal, feita pelo artista goiano Divino Diesel, em stand preparado pela decoradora Roseli Goulart.

História

Sonho antigo de Oswaldo Stival, a primeira edição do Festival Italiano de Gastronomia e Cultura de Nova Veneza ocorreu em 2003 com o objetivo de atrair novos investimentos para as áreas de turismo, cultura e gastronomia, proporcionando a geração de novos empregos e renda  para a população. “A intenção era realizar um festival cultural e de comidas típicas que fosse aberto a todos que quisessem provar as delícias que a Nova Veneza produz em suas cozinhas familiares, além de resgatar a memória e as tradições dos antepassados italianos das famílias que formam a comunidade da cidade”, destaca Oswaldo.

A ideia do pioneiro era fazer um festival italiano que fosse administrado de forma independente, sem interferência política. Atualmente, o evento é gerido pela Associação Pró-Festival Italiano (Afesti). “Dessa forma, o festival não fica dependente da administração pública e sua manutenção fica garantida mesmo se não tiver apoio político”, afirma Oswaldo.

Leia ainda: Mural homenageia Cruz e Sousa no Centro de Florianópolis

turismoonline.net.br – O portal do turismo, hotelaria e gastronomia

Jefferson Severino

Jeff Severino, lageano, jornalista diplomado - SC-01571-JP, pela - UNISUL - Campus Pedra Branca - SC, profissional por sacerdócio e devoção, além de fotógrafo por paixão (passarela, eventos, mulheres, natureza). Especialista em turismo/gastronomia/hotelaria/destinos turísticos. Eterno viajante. Assessor de Imprensa da Associação Brasileira de Agentes de Viagens-SC. Articulista/colunista/editor/redator/fotógrafo de jornais e revistas e sites nacionais e internacionais. Contato: (48) 99163-7172 - TIM - WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Você é a notícia, nós publicamos!
Envie-nos uma proposta comercial.
Powered by
Fechar
Fechar