Arte e Cultura

Estudantes do 6º e 8º Ano Lançam Livros de Fábulas e Contos

Escola Internacional de Joinville Trabalhou o Protagonismo

Formar um leitor (nos dias de hoje) não é uma tarefa muito fácil com o bombardeio de informações que se recebe, o tempo todo, de todos os lugares. Mas formar um leitor também não é impossível. Com criatividade e atividades diferenciadas fica mais atrativo fazer com que crianças e jovens aprendam a desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita. Um bom exemplo é o que faz a Escola Internacional de Joinville.

Temas ligados ao cotidiano, valores e outros assuntos são trabalhados ao longo do ano e desta vez o resultado surpreendeu: pela primeira vez os livros de fábulas do 6º ano – Fabulando por aí – e de contos do 8º ano – Era uma vez… – foram publicados por uma editora, a Giostri, de São Paulo.

“Ser um comunicador de excelência. Esse é um dos conceitos que trabalhamos com eles na hora de desenvolver essas atividades e o resultado ficou maravilhoso. Eles gostaram de se ver em um livro. Sempre destacamos que o conhecimento é mais sofisticado quando sabemos falar e escrever sobre determinado tema”, comenta a diretora da Escola Internacional de Joinville, Elza Cristina Giostri.

Segundo a professora Vanessa Heloisa de Melo, um dos ensinamentos ao produzir um texto é a valorização dos talentos por meio da afabilidade e compreensão. “A fábula é uma mensagem por meio de metáforas. Ao construir uma fábula os estudantes escolhem animais que representam vícios e virtudes. A partir disso, há uma ligação com a vida real e o sentimento deles. Na parte de contos, os escritores desenvolvem a interpretação e um olhar mais crítico perante as coisas.”

Para instigar e despertar ainda mais a importância da literatura, Alex Giostri, cineasta, roteirista e editor da Giostri Editora esteve na escola para bater um papo com pais e alunos. Além de falar sobre o processo literário, Alex apresentou o projeto oficina literária – A Formação do EU, que é realizado nas dependências da Penitenciária Industrial de Joinville – SC, onde coordena toda a ação, que privilegia apenados e constrói uma nova maneira de pensar e conviver com a vida em cárcere.

“O mais importante desse trabalho desenvolvido na escola está associado ao protagonismo das crianças e jovens. Colocá-las para escrever promove outra reflexão, pois elas estão escrevendo as suas próprias histórias. Desta forma, acredito que estamos aproximando muito mais os jovens dos livros”, completa Giostri.

O que dizem os alunos

 “Achei muito legal escrever. Ver o texto no livro mostra que o esforço valeu à pena. Com a fábula aprendi que todo ato que você faz gera uma consequência. Foi muito bom. O título do livro foi ideia minha.”

Lara Elotério de Mello, 12 anos, do 6º ano

“É legal ter um texto meu no livro. Escrevi sobre regras. Se você quebrá-las pode ser dar mal!”

Gustavo Palhares, 11 anos, do 6º ano

“Foi um processo bem legal. Gosto muito de escrever e quando vi o livro me surpreendi, pois não imaginava que ia ficar assim. O resultado ficou bem bacana.”

João Gustavo Hack, 14 anos, do 8º ano

“Não sou fã de escrever, mas gosto de ler. Fiquei feliz com o resultado e me empolguei para escrever mais depois que vi o livro.”

Mariana da Silva Gonçalves, 13 anos, do 8º ano

O que os alunos fazem ano a ano*

 6º ano – produzem livro de fábulas: questões sobre moralidade, sobre como falar as coisas de forma educada são debatidas em sala de aula.

7º ano – produzem uma revista: notícias curtas, imagens são mais atrativas para alunos desta fase.

8º ano – produzem livro de contos: aguçam o senso crítico e a interpretação.

9º ano – produzem antologia de poemas: estimula o uso de uma linguagem mais sofisticada.

 *Em todos anos, eles leem livros ligados ao tema, pesquisam, acompanham aulas expositivas, escrevem e reescrevem até que os textos fiquem corretos, seja no conteúdo ou na escrita.

Como comprar

O livro pode ser adquirido na Escola Internacional de Joinville, rua Henrique Dias, portaria 3.

Valor: R$ 30,00

 Fotógrafo: André Kopsch.

Acessória:Santa Cultura

Leia+:Profissionais Desenvolvem Método Educativo para os fios Encaracolados

leitura
Foto Divulgação
literatura
Foto Divulgação
Etiquetas

Rosilene Bejarano

Rosilene Bejarano,nascida em Corumba Ms Digital Influencer, blogueira revista eletrônica Coisas Do Sul, assino para as revistas Egonoticias de Balneário Camboriú, Top Society de Lages, Lithoral News de Itajaí. Palestrante com o tema (Estrutura familiar e mulheres na politica) recebi o titulo de Embaixadora da Paz em 2018, atualmente resido em Joinville Santa Catarina, cursando marketing digital,formada em Hotelaria e excelência em atendimento, sou a Vice presidente da Abramecom (Associação Brasileira de Colunistas Sociais e de Mídia Eletrônica) Recebi o premio internacional de imprensa empreendedora Dr Rey 2017. Premio destaque de Mídia Eletrônica SC da Revista Lithoral News, Premio destaque imprensa revelação SC.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar