Teatro

Grupo homenageia Mazzaropi em espetáculo no Sesc Birigui

Artistas da Cia. Arte das Águas exploram ainda sua identificação com a trajetória do cineasta e ator brasileiro

Grupo homenageia Mazzaropi em espetáculo no Sesc Birigui na quinta (22)

Artistas da Cia. Arte das Águas exploram ainda sua identificação com a trajetória do cineasta e ator brasileiro

Uma trupe ambulante chega cantando a vida e a obra do eternizado artista popular Mazzaropi. Ao deparar-se com a história, encontram a si mesmos. Este ir e vir entre a vida do artista e a realidade dos atores traz à cena um jogo poético, cantado e encantador que leva a conhecer o artista consagrado, mas principalmente ao artista adormecido em cada um de nós.

Amácio Mazzaropi lançou seu primeiro filme, “Sai da Frente”, em 1951. Vendeu sua casa para conseguir dinheiro e fundar a PAM Filmes (Produções Amácio Mazzaropi) um tempo depois. Mais tarde, no início dos anos 1960, adquiriu uma fazenda, onde construiu seu primeiro estúdio de gravação.

O ator e diretor não mediu esforços para levar sua arte até o máximo de pessoas e teve sucesso em seu objetivo. Fez mais de 30 filmes e entrou para a história do cinema brasileiro com temas populares e a figura do caipira. E até hoje ele é lembrado e recebe inúmeras homenagens.

Uma delas foi prestada pela Cia. Arte das Águas de Ibirá, que traz ao Sesc Birigui nesta quinta-feira, dia 22, o espetáculo Mazzaropi, um certo sonhador.  A apresentação acontece no Teatro da instituição, às 20h, com entrada gratuita (ingressos distribuídos no Sesc a partir das 19h).

A companhia leva ao palco um pouco da vida e da obra de Mazzaropi. A infância simples entre Taubaté e São Paulo, dividida entre a casa dos pais e dos avós, na constante busca familiar por melhores condições de vida, está em cena. O menino tímido e sem graça do interior, que de caipira não teve nada, imortalizou nas telas e em nossas retinas o maior símbolo do caipira.

Em cena, uma trupe ambulante chega cantando a vida e a obra do ator e diretor e, ao deparar-se com sua história, encontram a si mesmos. Este ir e vir entre a vida do artista e a realidade dos atores traz à cena um jogo poético, cantado, encantador que leva a conhecer o artista consagrado, mas principalmente ao artista adormecido em cada um de nós. O texto é de Clara Roncati e Antonio Bucca, e a direção, de Fabiano Amigucci.

Dia 22/2, quinta, das 20h às 21h10
Teatro

Grátis – Retirada de ingressos com 1h de antecedência, limitado a 1 (um) ingresso por pessoa.

EndereçoR. Manoel Domingos Ventura, 121 – Vila Xavier, Birigui – SP, 16203-009

Horário

terça-feira 13:00–22:00
quarta-feira 13:00–22:00
quinta-feira 13:00–22:00
sexta-feira 13:00–22:00
sábado 09:30–18:30
domingo 09:30–18:30
segunda-feira Fechado
Sugerir uma edição

Marlon Plavalaguna

Nascido em São Paulo Capital: Colunistas, Blogueiro e Assessor de Imprensa.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar