Economia e NegóciosNáuticaNegócios

Terminou mais uma edição do Encatho & Exprotel superando todas as expectativas

Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico

Nos três dias do 32º Encatho e Exprotel, que contou com mais de 50 atividades entre palestras, reuniões, sessões de autógrafos, lançamentos, assinaturas de importantes acordos e repasses para o desenvolvimento da economia do turismo, além de uma ampla feira, circularam pelo evento 3.723 pessoas vindas de 201 cidades, 19 estados e 2 países.

Encatho & Exprotel encerra e supera expectativas
Osmar Vailatti – presidente da ABIH-SC

Para Osmar José Vailatti, diretor-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina – ABIH-SC, o evento surpreendeu. “Encatho & Exprotel foi um sucesso. Um grande público participando das atividades, profissionais de altíssimo nível nas palestras, uma feira diversificada em produtos e serviços com as principais soluções para o turismo e hotelaria, bem como, a participação ativa das entidades do trade, trazendo para o evento seus associados e empresários do setor. Este movimento conjunto mostra a força do macrossetor turístico catarinense para todo Brasil”, salienta.

Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio – Foto: Jefferson Severino

E não foi somente a união das entidades do trade que o evento proporcionou. A aproximação do poder público com a iniciativa privada também foi um dos pontos a serem destacados durante todo evento. “A vinda do Ministro do Turismo, do diretor nacional do SEBRAE, da vice-governadora e demais autoridades, traduz a importância de ouvir, dialogar e planejar com quem faz do turismo a indústria certa para os países que querem crescer”. Osmar destacou também a importante participação das Instâncias de Governança Regionais – IGR’s. “No Brasil onde o turismo doméstico prevalece, poder mostrar as oportunidades de cada região turística dentro do evento, capacitando empresários para esta comercialização e permitindo o networking foi também dos destaques desta edição”. Por fim, Osmar Vailatti fez um agradecimento especial aos expositores, associados, entidades do trade e profissionais da imprensa. “Aos que confiaram em nosso trabalho, apoiaram incansavelmente e trabalharam junto para que o evento fosse um sucesso, deixo aqui meus agradecimentos”.

Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Lara Perdigão – Diretora de Eventos da ABIH-SC – Foto – Jefferson Severino

A ampla programação pensada estrategicamente para atrair todos os olhares foi uma das preocupações da diretora de eventos da ABIH-SC, a relações públicas Lara Perdigão. Ela explica que assim que foi definido o tema central, a busca por especialistas renomados no cenário nacional começou “O que percebemos é que o pequeno e médio hoteleiro compreendeu que o evento é pra ele. Passou a entender que os temas das palestras podem ser aplicados em qualquer tamanho de empreendimento, além de muito prático, o que permite ações com resultados visíveis em curto espaço de tempo”, enfatiza. Confira o resumo dos eventos que movimentaram o CentroSul, em Florianópolis, no último dia. Para conferir os outros eventos e ações que integraram a programação desta 32ª edição, acesse www.encatho.com.br.

Exprotel é muito elogiada entre os expositores

Público na abertura oficial do evento – Foto: Jefferson Severino

Quem visitou a Exprotel pode conferir inúmeras soluções em produtos e serviços, tecnologias de ponta, lançamentos e uma infinidades de inovações em processos. Para quem buscava “Soluções e Inovações na hotelaria”, bem como, para quem deseja obter relacionamento e fechar negócios com um público selecionado, este foi o lugar certo.

Para César Hunhoff, da Lavasul, a feira não só atendeu as expectativas como superou. “Nosso espaço foi para tirar dúvidas, trocar ideias e dar informações sobre lavanderia e locação de enxoval para a hotelaria. Mas apesar de ter um objetivo mais de divulgação, fechamos bons negócios. Só desejo que o evento continue crescendo como vem crescendo a cada edição”, salientou. A Lavasul é uma empresa com 21 anos de existência, mais de 150 funcionários que atende a rede hoteleira de Joinville à Florianópolis e também em Blumenau, Gaspar e Jaraguá do Sul. Sua capacidade é de mais de 12 toneladas dia e mais de 100 hotéis.

Nos três dias do 32º Encatho e Exprotel, que contou com mais de 50 atividades entre palestras, reuniões
Maçãs de São Joaquim – Foto: Jefferson Severino

Outra tradicional participante da feira é da Altenburg. Nesta edição a empresa trouxe novidades no enxoval de banho, toalhas e roupão. Segundo Rose Molon, o evento novamente surpreendeu. “Não se mede uma feira só na sua realização, mas nos meses seguintes quando mantemos contato com todos que passaram pelo estande, mas antecipo que foi um público muito qualificado e os negócios aqui no evento já foram muito bons”, afirma.

A Webspot é um dos expositores que participaram pela primeira vez do evento. Para Natália Secioso, o objetivo principal não era fechar negócios, mas sim apresentar suas soluções na região sul. “Começamos a expandir a nossa participação em feiras mais regionais a fim de buscar os hoteleiros que acabam não conseguindo ir para as feiras em São Paulo. Como já temos alguns clientes na região sul, a Exprotel acabou sendo uma feira estratégica para buscar mais parcerias nesta região”, pontua Natália. A empresa que já tem mais de 10 anos de mercado apresentou suas soluções em gestão de internet, pesquisa de satisfação, automatização de processos de governança, controle de pensão e e-mail marketing.

Outra solução apresentada na feira pela CHA Hotéis, uma operadora hoteleira, foi a administração profissional de hotéis e pequenos meios de hospedagem. Segundo Geraldo Linzmeyer, presidente da rede CHA, a empresa oferece soluções para o empresário que quer continuar rendendo de forma mais competitiva, sem abrir mão do seu negócio. “O evento é muito visitado pelo pequeno pousadeiro até as grandes redes nacionais. Este é o nosso público, então estar presente foi uma estratégia para mostrar um pouco do que podemos fazer por um empreendimento através de uma política forte comercial. Por ser uma primeira experiência não tínhamos ideias de resultados, mas até o momento estamos muito satisfeitos”, afirma Geraldo.

Além destes, outras dezenas de expositores relataram suas experiências e resultados nesta 30ª edição da Exprotel, o resultado final você confere na segunda edição da revista ABIH-SC que será lançada nas comemorações ao dia do hoteleiro, em novembro. Para empresas interessadas em anunciar na revista, basta entrar em contato (48) 3222-8492 | comercial@abih-sc.com.br

Reunião da Associação de Turismo Hidrotermal Santa Catarina – ATHISC

A ATHISC – Associação de Turismo Hidrotermal e Climático de Santa Catarina reuniu-se no Encatho e Exprotel no último dia do evento, com especialistas científicos e técnicos da UNISUL e CIEPH para tratar de projetos voltados ao fomento do turismo hidrotermal, com vista à formação de roteiros, produto tão solicitado pelas operadoras.

Lançamento do Livro

Ademir Wilkelhaus e Wilson Macedo
Como se faz o roteiro de cicloturismo? – Ademir Wilkelhaus e Wilson Macedo – Foto: Divulgação

O primeiro livro no Brasil a abordar este tema foi lançado nesta quinta-feira(15) durante a reunião da ATHISC no Encatho. A leitura é recomendada a Gestores Municipais, turismólogos, cicloturistas apaixonados por fotografias, pessoas que gostam do meio ambiente e professores da área. Na obra, uma pesquisa de embasamento teórico realizada no exterior, em países como Espanha, Bélgica e Holanda, seguido de países na América Latina, outros estados do Brasil, até chegar na região catarinense onde foi criado o circuito. Uma leitura cheia de informações, confira!

Beto Carrero Word: A fantasia que te leva

Beto Carrero Word: A fantasia que te leva
Beto Carrero Word: A fantasia que te leva – Divulgação

Régis Acosta Rodrigues, Gerente de Vendas Trade do Beto Carrero explicou que o parque, neste momento de muita inovação e de transição está totalmente dentro desse movimento de olhar para o futuro, de desenvolvimento, de visão disruptiva, de novos cenários. Porém, ao mesmo tempo, cuidando muito da sua essência, cuidando muito da história que é de encantar, de prestar atenção nas pessoas, de trazer o que realmente traz alegria e felicidade também no momento de transição.

O profissional observou que o parque trabalha toda a gama de segmentos e oportunidades de contato com o mercado para promoção. “Cada vez mais trabalhamos o mercado de forma líquida, observando qual a melhor forma de chegar às pessoas. Trabalhamos o digital, mas também temos áreas especificas de contato através de parceiros, através de entidades, ou seja, trabalhamos com todo o mercado de forma geral”, finaliza. 

Como a formação continuada dos colaboradores contribui para o ambiente e os resultados do meio de hospedagem?

A analista pedagógica do Senac SC, Leila Di Pietro, falou e deu exemplos de como as organizações podem inovar por meio dos próprios talentos, além de abordar a importância de estimular e reter profissionais nos meios de hospedagem. “Um prédio não vai sobreviver se não tiver as pessoas trabalhando e para isso é preciso organizar os métodos e a estruturação para agir. O conceito de ação é um conceito-chave e hoje a ação está internalizada em todos os envolvidos”, afirmou a palestrante. A especialista também apresentou dois conceitos de aprendizagem presente nas organizações:

Aprendizagem organizacional

  • Processo baseado na experiência e conhecimento da organização para a tomada de decisão;
  • Registro de certos tipos de atividades que tem lugar na organização;
  • Ter atividades e processos através do qual as organizações atingem seu ideal – mapear processos.

Organização aprendente

  • Expansão continua das capacidades das pessoas para atingir resultados – testar;
  • Estimula novos padrões de pensamento – tolerância ao erro;
  • Constante aprendizagem em conjunto;
  • Capacidade de criar, adquirir, transformar conhecimento e modificar comportamento.

Leila afirmou que as empresas devem ter como meta ser uma organização aprendente que busca valorizar as pessoas por meio de ambiente e estímulos propícios para a aprendizagem e a capacitação. Ela também listou algumas das principais competências exigidas pelo mercado e como os empresários podem estimular a formação continuada dos colaboradores. 

Novas competências

  • Cultura tecnológica, línguas estrangeiras;
  • Ser empreendedor, ter habilidades sociais;
  • Educação ao longo da vida, capacidade de continuar a aprender de diferentes maneiras.

Como oferecer aos talentos formação continuada:

  • Ter grupos de estudo;
  • Formação regular;
  • Treinamento em serviço;
  • Cursos customizados.

“Dentro das organizações a formação continuada é muito importante e reflete diretamente no relacionamento com o cliente. Por isso, o ambiente deve ser colaborativo e a equipe deve ter metas conjuntas. Além disso, utilizar de forma inteligente a ferramenta de feedback estimula a valorização dos funcionários e a humanização nas relações”, concluiu Leila.

A importância da arte rupestre e os monumentos megalíticos de Santa Catarina para o fomento do turismo sustentável

O Antropólogo e pesquisador da arte rupestre a 30 anos, Adnir Ramos explanou sobre os desenhos gravados nas pedras, “Não sabemos a data, mas são muito antigos. São gravuras em baixo relevo que fazem parte de uma geometria que está espalhada por todos os continentes”, explica.

O palestrante esclareceu que é feita uma interpretação desses desenhos para fazer com que todos percebam o valor histórico da região e almeja que seja conectado com o turismo “para que as pessoas possam valorizar e até mesmo para que seja preservado, pois à medida que há visitantes, aumenta o interesse do estado, que pode fazer a infraestrutura para os locais, até para a segurança das pessoas”. E complementou que o interesse com a palestra é fazer com que se entenda que existe um significado por trás dessas inscrições, pois, segundo o antropólogo, de Porto Belo à Garopaba, existem mais de 500 desenhos gravados.  Diversas artes rupestres em exposição encantaram os visitantes no acesso principal ao Encatho.

Reunião da FHORESC

A Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Santa Catarina realizou a reunião paralelamente ao Encatho e Exprotel para tratar de dois temas importantes: a busca de soluções para a nova realidade sindical do Brasil e também o próprio Encatho. Marcos Hardt – Diretor de Operações da ABIH-SC palestrou na reunião, que contou com a participação dos presidentes dos 14 sindicatos do estado na categoria e diretores da Federação.

Estanislau Emílio Bresolin – Foto: Jefferson Severino

O presidente da Federação, Estanislau Emílio Bresolin explicou que o local foi escolhido para a reunião para prestigiar um evento grandiozo como o Encatho, que já tem uma tradição muito grande e é da mesma categoria. O objetivo do encontro foi dar uma dinâmica para a nova modalidade de administração sindical com não obrigatoriedade de recolhimento “A gente quer se preparar para esse novo momento. Também estamos vivendo um novo momento com a expectativa da aprovação da Medida Provisória da liberdade econômica que também vem afetar as nossas empresas, isto é, melhorar o ambiente de trabalho. Esses assuntos a gente deve comentar aqui para a dinâmica dos sindicatos que compõe a Federação”, salientou.

Seminário de Desenvolvimento Turístico IGR Tur – GF

O foco do evento foi sobre agenciamento e operação de viagens, pois há uma carência muito grande, no estado inteiro, de operação de viagem consolidada, ou seja produtos turísticos prontos para comercialização ao cliente final, pontuou Marcelo Alves, coordenador da Instância de Governança da região turística da Grande Florianópolis.

Durante o Seminário foi feita uma abordagem de como funciona a questão de agenciamento e operação para os parceiros deste segmento com o intuito de, no futuro próximo, já no final deste mês, criar uma oficina de produtos turísticos já com entendimento de como funciona essa situação para aproximar hotelaria, parceiros e transporte do agenciamento de viagem com o objetivo de criar produtos para que a gente possa distribuir no Brasil e em outros países. “Estes devem ser produtos prontos para começar a ter uma vertente diferente de turistas dos que vêm a Santa Catarina, turista que já vem com uma informação pronta de quais são os atrativos, os equipamentos disponíveis para que ele possa fazer o consumo aqui no nosso estado”, explica Marcelo.

Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Flavia Didomenico – Presidente da Santur

Durante o evento foram realizadas algumas palestras por entidades envolvidas com o turismo, como a palestra sobre o Papel institucional da Santur e Instâncias de Governança na promoção e fomento do turismo catarinense. Também foram tratados temas como impulsionamento de novos produtos turísticos via Agência de Viagens; construção de produtos turísticos internos; impacto da operação turística ao redor do mundo; impacto jurídico no agenciamento de viagens; importância da operação turística para o desenvolvimento Municipal; Mesa Redonda e plenária com a participação de representantes da IGRTur/GF, agenciamento de viagens, meios de hospedagem, poder público e Presidente da Granfpolis e a Assembleia da IGRTur-GF para passar resultados e novas ações.

Espaço Santur na Exprotel

O espaço da Santur recebeu apresentações
Espaço Santur – Foto: Jefferson Severino

O espaço da Santur recebeu apresentações dos atrativos de algumas regiões turísticas do Estado. Representantes do Caminho dos Príncipes, Serra Catarinense, Grande Oeste, Caminhos da Fronteira, Vale dos Imigrantes, Encantos do Sul e Costa Verde e Mar tiveram cerca de 30 minutos para compartilhar experiências e ações realizadas para promover seus destinos.

Reunião do FORTUR

O Encatho foi palco da reunião do Fórum de Turismo de Florianópolis – Fortur. Zena Becker, coordenadora, explicou que todo o trade de turismo da Grande Florianópolis participou do evento, que contou com palestra da diretora de cidades inteligentes da Fecomércio. Foram tratados, ainda, assuntos de turismo de modo geral e a revisão da avaliação da temporada 2018/2019 para planejamento da temporada 2019/2020.

Como obter maior eficiência e reduzir perdas utilizando a sistemática do Design for Service – DFS

O palestrante Julio Cesar Berndsen tratou do design de serviços, ou seja, como o setor hoteleiro pode projetar o seu serviço. Trouxe para os participantes um modelo que foi criado na tese de doutorado que fez na UFSC em 2018. A partir dessa tecnologia, explica, um hotel pode trabalhar desde a parte inicial, do projeto, até a parte de implementação com esse modelo, que, segundo ele, é adaptável a pequenos, médios e grandes hotéis. “Não é somente a parte da gestão, mas aplicações específicas em gestão de manutenção, desde a aplicação de gestão robótica, gestão de monitoria remota, sensores óticos, entre outros”, comenta.

Berndsen explicou que essa condição auxilia no planejamento, onde se pode perceber a situação atual do hotel e tomar decisões de a que futuro se quer chegar, escolhendo diretrizes e apoios tecnológicos que devem ser traçados. O palestrante complementou que na palestra foi tratado o hotel 4.0 – inovação, velocidade, excelência e adaptabilidade. “Para o mercado competitivo de hoje, estes itens são de suma importância pensando em um design de serviço”.

Mudanças no consumo e seus impactos no mercado

O especialista em turismo André Carvalho, do Senac SC, apesentou as macrotendências de comportamento do consumidor, impactos da tecnologia e novos padrões trazidos pelos millennials. O turismólogo também mostrou estratégias de mercado para manter a competitividade diante do novo consumidor.

Segundo o especialista, a forma como a nova geração consome impacta diretamente no setor turístico e exigem mudanças das operadoras de viagem, agências de turismo e meios de hospedagem. “Essa geração vai determinar as novas formas de comprar e consumir e os empresários precisam estar preparados para oferecer experiências alinhadas com esse novo comportamento”, explicou André.

Uma das oportunidades a ser explorada em Santa Catarina é o turismo de eventos, como a Volvo Ocean Race, a Oktoberfest e o RD Summit, por exemplo. Uma pesquisa do TripAdvisor revelou que entre as cidades com interesse para as férias de julho, a que mais cresceu foi Joinville, no norte do Estado. Uma das razões para esse resultado é o Festival de Dança, que movimenta o setor hoteleiro e a economia da cidade.

“Nosso Estado tem um enorme potencial turístico e precisa começar a transformar essa potencialidade em oportunidade. A integração é o melhor caminho para conseguir trazer mais turistas para o nosso estado. E uma das ferramentas que busca realizar essa interação entre o trade é o Observatório do Turismo, uma iniciativa da Fecomércio SC | Sesc Senac, que reúne informações e contribui para o planejamento do setor”, afirmou André Carvalho.

O controle dos processos de lavanderia como fator de Inovação na gestão do enxoval

A palestra foi ministrada por Carla Trindade para poder identificar o que se pode melhorar no processo interno da lavanderia externa e as responsabilidades de cada um. “Às vezes, explicou, o hotel passa a responsabilidade para a lavanderia de um processo errado que acontece no hotel, então temos que ficar atentos a isso também”. A palestra abordou, ainda, a inovação de controle de enxoval, tecnologias, investimentos, segurança a partir de controles internos de software, entre outros assuntos de interesse do segmento.

RM não precisa ser um jogo de azar – Conheça os 21 maiores erros

Diego Correa discorreu sobre a prática de RM, ou seja, acompanhar o mercado e reagir na hora certa, ter um profissional dedicado para fazer a análise e resposta do mercado. “RM é mais sobre o que não fazer do que o que fazer de fato”, explicou o palestrante, que também identificou que “há muitos mitos sobre RM que precisamos desfazer”. Na palestra, Diego falou dos 21 erros mais comuns e práticas que os meios de hospedagem não devem aplicar e deu dicas para começar. Entre os erros, pontuou alguns dos principais, como “se basear muito no preço de concorrência; não considerar ocupação de grupos para fazer RM; não considerar os critérios todos, como eventos, ocupação, demanda, concorrência, acesso no site; não considerar qual o segmento mais lucrativo do hotel, enfim, algumas dessas práticas que fazem com que os hotéis, muitas vezes, dividam a atenção e o esforço focando nas métricas que não interessam”.

Inovações de arquitetura para o setor hoteleiro

Patricia Moschen abordou o comportamento da arquitetura na hotelaria mundial, como as inovações em relação a mudança de comportamento e de perfil do viajante.  “A proposta foi mostrar que o hotel deve desenvolver um conceito próprio e, baseado nisso, começar sua mudança, dentro da sua proposta, achar o caminho e aí transparecer isso nas atitudes, na forma de atendimento, na arquitetura e na ambiência em si, visualizando como vai trabalhar para fidelizar o seu público”. 

Inovação na gestão de enxoval

Este foi um bate papo entre clientes de hotel e fornecedores de serviço, lavanderia, fornecedor de enxoval e fornecedor de produtos químicos, as duvidas serão sanadas porquem realmente tem propriedade, falar sobre produtos químicos, se cloro corroi, se peroxido ajuda, etc. sobre  aqualidade da entrega do enxoval vai ter a lavasul e altenburg vai falar sobre que impacto tem a ma utilização do enxoval.

Gameficação – a experiência que fideliza

A palestrante Greyce Lopes, da Promoboo live marketing explicou como essa metodologia que já existe nos jogos pode agregar para as ações de fidelização e incentivo, tanto aplicado aos hotéis como ao meio de atrações turísticas e fazer dos clientes cada vez mais engajados com a ferramenta da gameficação. Explicou um pouco da metodologia, embasamento teórico e prático da gameficação, tanto aplicada ao marketing de experiência como ao marketing de incentivo e fidelização.

Greyce também deu exemplos práticos que podem ser aplicados no dia a dia e que podem auxiliar nos programas de fidelização, tornando o ambiente de utilização mais lúdico e divertido.

Informações de segurança para turistas e o impacto na operação hoteleira

O Coronel da Polícia Miltar de Santa Catarina Adilson Luiz Pacheco apresentou uma visão geral da cena de segurança no estado, de como se opera segurança pública. Mostrou o cenário da situação de violência, como facções criminosas operam; projetos que a polícia tem, “para demonstrar para o turista que somos uma cidade segura, um estado seguro. Mostramos que existe a criminalidade, mas mostramos também os projetos que vão e estão coibindo a criminalidade e apresentamos também dados efetivos de redução da criminalidade, confirmando que o nosso estado é seguro e que aqui não é um ambiente atrativo para o crime organizado”.

Na área preventiva a PM trabalha com projetos como vizinho solidário; Rede Catarina para a proteção das mulheres; a polícia digital, que está conectada o tempo todo e a PM sabe onde estão todos os policiais, o que facilita o atendimento da ocorrência; as body cam (câmeras acopladas ao corpo), com as quais o policial registra as ocorrências, se tornando uma prova para o policial daquela situação de grave ameaça. O coronel apresentou ainda um projeto que está sendo implantado, o PM cidadão, através do qual o cidadão terá um login e senha e poderá acionar a Polícia Militar diretamente. 

Gestão da Qualidade como fator decisivo na performance do hotel

O professor Tiago Mondo lançou o livro “Tourqual, gestão da qualidade em destinos e equipamentos turísticos”. A obra apresenta uma proposta de indicadores de gestão para os meios de hospedagem e é resultado de uma tese de mestrado. Mondo também fez uma palestra sobre o tema, destacando a avaliação da qualidade de serviços em meios de hospedagem com a aplicação do modelo Tourqual.

“Na hotelaria uma das coisas que determinam a compra é a reputação online, isso influencia a decisão de compra. Se eu tenho comentários positivos provavelmente aquela gestão da qualidade é mais adequada, se eu tenho mais comentários negativos, o contrário também é verdadeiro, provavelmente esse hotel não se preocupa muito com a qualidade. O Torqual surge para auxiliar a gestão em identificar quais os indicadores necessitam de melhoria e quais podem ser explorados positivamente como forma de divulgação e captação de clientes”, explica Tiago.

Inovação e soluções em tecnologia de atendimento digital

Rodrigo Teixeira falou sobre a produtividade da hotelaria e sobre como as centrais de reserva podem usar a inteligência artificial ao seu favor para aumentar a eficiência operacional do negócio. Trouxe várias novidades a respeito de atendimento ao cliente, atendimento interno, de operação da central de reservas e cases de resultados, mostrando as tendências tecnológicas.

Riscos, desafios e como a hotelaria pode se adaptar à Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD

Tullo Cavalazi enfatizou que este tema é de extremo interesse dos hoteleiros e de todo o trade presente, “porque é uma lei nova que trata sobre a proteção de dados das pessoas que se relacionam com a hotelaria. Temos temas muito novos, como por exemplo, direito ao esquecimento, que é o direito de apagar os dados da pessoa que se hospedou e os conflitos dessa lei com as obrigações que os hoteleiros têm”.

Segundo o palestrante, os hoteleiros estão bem atentos às necessidades e já começam a aplicar, pois a Lei foi publicada em 15 de agosto de 2018 com prazo de dois anos, mas há entendimento geral de que em fevereiro já esteja vigente.

Explicou que o hoteleiro tem que passar a ter uma consciência digital dentro do seu empreendimento. “Isso se faz facilmente com a formação de um comitê interno, utilizando colaboradores que lá já estão, da área jurídica, da área administrativa e da área da TI e a partir dali começam a implementar atos internos que vão garantir para ele a compliance digital. É matéria com certeza de diferenciação econômica no futuro, o hotel que tem a certificação digital pode ter um diferencial em relação àquele que não tem e há também uma exigência internacional do mercado em relação a isso. A tendência é que estrangeiros só se hospedem no Brasil em hotéis que estejam adequados à própria norma internacional”, complementa.

Envelhecimento populacional e oportunidade de negócios na hotelaria

Daniela Jora, analista estadual de Eixo Ambiente e Saúde do Senac SC palestrou sobre o envelhecimento da população e como esse novo cenário traz oportunidades de negócios para o segmento turístico. Entre os assuntos em pauta, estão as necessidades e anseios deste público e as cidades com potencial turístico para a melhor idade em Santa Catarina.

“O público de terceira idade está presente todos os espaços sociais: viajando, trabalhando, estudando. A Organização Mundial da Saúde – OMS fala da importância de desenvolver o envelhecimento de forma ativa e como estamos vivendo cada vez mais temos que nos apropriar para engajar esse público na hotelaria”, revela a especialista.

A melhoria da qualidade de vida, políticas públicas de saúde e a redução da taxa de natalidade, com famílias tendo menos filhos, contribui para o aumento da população idosa. Como os segmentos da cadeia do turismo estão se preparando para esse novo cenário?

Mercado da terceira idade

  • Consome cerca de R$ 7,5 bilhões no Brasil;
  • Previsão de crescimento do turismo: 8,4% no Brasil e 9% na América Latina;
  • Viagens aéreas nacionais aumentaram 4%, o que representa 15% da demanda total;
  • No primeiro semestre de 2018: 25,4% queriam viajar.
Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Edson Ziolkowski – CEO do Hotel Renar – Ícone hoteleiro em Fraiburgo – Vale do Contestado

Dados de Perfil e Comportamento

  • 56% mulheres – 44% homens;
  • 70% não contratam por impulso;
  • 64,6% gostam de viajar fora do período de férias escolares;
  • 88% vivem em regiões urbanos;
  • 19% tem acesso à internet;
  • 64,8% ficam em hotéis;
  • 46,9 preferem roteiros na serra;
  • 50% preferem roteiros históricos;
  • 45,9 preferem roteiros na praia;
  • 76% viajam de avião;
  • 16,8% viajam de automóvel;
  • 6,2% viajam de ônibus;
  • 70% preferem viajar com público de idade diversa;
  • 54% contratam a viagem;
  • 80% aposentados e pensionistas.

Daniela falou sobre a necessidade de ouvir os clientes da terceira idade. “Nós temos que conhecer e entender o perfil desse público para saber o que oferecer para essa população. Quais os mix de produtos e serviços que eu tenho ou posso criar para atender os anseios e expectativas desse cliente?”, perguntou.

Tendências no setor:

  • Turismo de saúde e bem-estar
  • Turismo religioso
  • Turismo cultural
  • Turismo de natureza – Turismo rural

Ela também listou algumas dicas e orientações para o atendimento ao público 60+:

  • Evitar locais com degraus altos;
  • Manter contato visual e falar pausadamente;
  • Não infantilizar o atendimento;
  • Oferecer ajuda;
  • Zelar pelo conforto e independência;
  • Informar programação específica de eventos da cidade;
  • Dar preferência para passeios que atendam aos padrões de acessibilidade;
  • Oferecer pacotes de viagens bem detalhados, planejar roteiros com paradas mais frequentes e ater-se aos horários das refeições;
  • Atenção especial às refeições: geralmente os idosos tem restrições em sua dieta.
Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Rogerio Siqueira – Diretor Presidente do Parque beto Carrero World – Foto: Jefferson Severino

Como inovar:

  • Check in antecipado para evitar filas e espera;
  • Ficha médica – com as informações dos remédios que tomam;
  • Programação com atividades de lazer, como bingos e jantares dançantes;
  • Roda de chimarrão com pipoca;
  • Experiências com oficinas (fotografia, gastronomia e outras);
  • Equipes de trabalho preparadas, capacitadas;
  • Cardápios diferenciados (memórias afetivas).

A especialista também destacou as oportunidades em Santa Catarina, que tem diversas regiões do Estado com potencial para explorar o turismo de saúde e bem-estar com as águas termais. O termalismo catarinense proporciona um mix de produtos e serviços como as terapias alternativas e complementares, que segundo dados do Ministério da Saúde, cresceu 670% em oito anos.

Grande público, bons negócios, muitas prospecções e qualificação gratuita para o trade turístico
Manoel Linhares – Presidente Nacional da ABIH – Foto: Jefferson Severino

O impacto das atividades náuticas nos meios de hospedagens

Michele Castilho, Conselheira da Associação Náutica ACATMAR falou da importância de os meios de hospedagem perceberem que quanto mais perto do mar, mais se usufrui destes benefícios. Enalteceu a certificação internacional de sustentabilidade que o Estado tem, que é a bandeira azul. “Todos têm que entender que esta certificação precisa ser usada na divulgação porque ela conscientiza. Este espaço que está sendo certificado é um espaço que vai ter cada vez mais qualidade. A gente traz um turista de fora que quer e compra qualidade. Somos o Estado mais azul do Brasil, vamos agora para a temporada com dez bandeiras”. Falou também dos projetos da ACATMAR, como o festival náutico, com o qual pretendem que o interior cresça e se desenvolva e reconheça o rio da cidade como uma economia. 

Embarque de cruzeiros em Itajaí

A grande novidade apresentada pela ACATMAR foi sobre os cruzeiros. “Itajaí vai embarcar e desembarcar já nesta temporada. Já há pacotes disponíveis para venda. Outra novidade é que além das paradas em Balneário Camboriú e Porto Belo, haverá parada também em São Francisco do Sul e Penha”.

Robôs e a Inteligência Artificial trazendo o Futuro para o Presente na Hospitalidade

Jorge Della Via Junior, da PluginBot mostrou um pouco do que está acontecendo no mundo no quesito transformação digital e o quanto é preciso evoluir e melhorar os processos. A ideia foi falar sobre robôs, inteligência artificial e transformação digital na hotelaria, “o quanto a hotelaria ainda é muito tradicional quando a gente fala destas novas tecnologias e o que precisa mudar, porque no mundo está acontecendo a transformação digital e a gente ainda não está acompanhando como um todo”. Trouxe exemplos, como o robô concierge – é um cargo comum no ramo hoteleiro, consistindo na função do profissional responsável por atender as necessidades básicas e especiais dos hóspedes- que pode ser usado na hospitalidade, chatbot, entre outros. Explicou, ainda, como a inteligência artificial pode impactar na melhora de processos operacionais e na experiência do hóspede.

Ao todo foram mais de 50 atividades em apenas três dias de evento. Para acompanhar tudo que aconteceu acesse o site www.encatho.com.br

Leia ainda: A temporada das festas típicas de Santa Catarina inicia em menos de um mês, em São Bento do Sul

turismoonline.net.br - O portal do turismo, hotelaria, gastronomia e viagens
turismoonline.net.br – O portal do turismo, hotelaria, gastronomia e viagens

Jefferson Severino

Jeff Severino, lageano, jornalista diplomado - SC-01571-JP, pela - UNISUL - Campus Pedra Branca - SC, profissional por sacerdócio e devoção, além de fotógrafo por paixão (passarela, eventos, mulheres, natureza). Especialista em turismo/gastronomia/hotelaria/destinos turísticos. Eterno viajante. Assessor de Imprensa da Associação Brasileira de Agentes de Viagens-SC. Articulista/colunista/editor/redator/fotógrafo de jornais e revistas e sites nacionais e internacionais. Contato: (48) 99163-7172 - TIM - WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar