Tecnologia

Velocidade da transformação tecnológica o que pensam empresários e população?

Apenas 10% dos empresários dizem que seus negócios acompanham ou superam a velocidade das demandas

Empresário e população têm percepções diferentes com relação à velocidade da transformação tecnológica

Apenas 10% dos empresários dizem que seus negócios acompanham ou superam a velocidade das demandas por agilidade decorrente do mundo atual

O mundo está mais rápido como parece ser a percepção geral ou é somente um sentimento de ansiedade com relação às transformações pelas quais está passando?

Como as pessoas estão se relacionando com a velocidade atual? Como percebem o estágio das empresas? E qual a visão dos empresários?

40Esses foram os principais pontos que a Officina Sophia Minds & Hearts, empresa pertencente à HSR Specialist Researchers, quis entender sobre a velocidade da transformação decorrente do uso das novas tecnologias.

A pesquisa nacional, que ouviu 2.650 pessoas, entre 18 e 55 anos, destaca que empresários, de maneira geral (90% dos entrevistados), consideram que suas empresas estão na média ou abaixo dela, no atendimento das demandas por agilidade decorrentes do mundo atual.

Em contrapartida, 60% da “população comum” sente que faz as coisas mais rapidamente e melhor do que cinco anos antes.

Mas um ponto é comum, independentemente do analisado (população ou empresário), o mundo está mudando rápido demais e causa ansiedade.

Dos entrevistados, 68% afirmaram que se consideram uma pessoa ansiosa e impaciente, 71 % entendem que a pressa e a ansiedade prejudicam a criatividade.

A relação com o tempo também está mudando e isso contribui para elevar o nível de ansiedade: “Quero sempre respostas rápidas e imediatas para e-mails e redes sociais”;

“Esperar 15 segundos hoje parece uma eternidade”; e “Tenho cada vez menos paciência para ler textos longos”.

“Tempos ansiosos e mais velocidade fazem com que se desenvolvam limites cada vez menores”, explica Naira Maneo, sócia-diretora da Minds & Hearts, responsável pela pesquisa.

População X Empresários – É inegável um lado totalmente positivo apurado pela pesquisa: no fundo, estamos todos nos sentindo beneficiados e nos transformando com os tempos atuais.

Das pessoas ouvidas, 69% sentem-se bem, fazendo várias coisas ao mesmo tempo; 68% consideram que a era da tecnologia e da informação deixou as pessoas mais ágeis, mais fluidas, mais espertas, mais interessantes; e 68% acreditam que quanto mais veloz o mundo está, mais as pessoas estão se tornando criativas e inovadoras.

Ou seja, a grande maioria da sociedade entende que a velocidade da transformação propulsionada pela tecnologia é positiva.

Dos pesquisados, 90% acham que as empresas estão mais inovadoras, muito mais do que há cinco anos. Mas ainda menos do que o esperado (52%), produtos e serviços estão ficando antigos rapidamente.

Foram ouvidos também 113 empresários de diversos setores e portes, presidentes, CEOs, vice-presidentes e diretores, e estes, como indivíduos, também concordam que tudo está muito mais veloz e, assim como população geral, embora estejam também bastante ansiosos, estão confortáveis com a multiplicidade de atividades.

Por outro lado, enquanto Empresários, não acreditam com tanta intensidade como a população geral, que a velocidade das mudanças tem deixado as pessoas mais criativas e mais inovadoras.

E quando questionados se sua empresa vem acompanhando as demandas por velocidade, 90% declaram que a empresa está na media ou abaixo da media de mercado 52% na media e 38% abaixo da média.

Este cenário aponta para três grandes desafios:

Novos modelos de negócios e lideranças – Caminhar para modelos de negócios mais flexíveis, novos modelos de gestão, mais orgânicos, mais ágeis, mais colaborativos, com profissionais diferenciados, revisão de cultura interna, gestores com visão interna apurada, e introdução/abertura de canais para captação de insights de colaboradores, consumidores e mercado.

Comunicação com usuários e consumidores – Adoção de uma linguagem mais objetiva, mais clara, mais assertiva e que considera a “percepção interior de velocidade/tempo interno” dos indivíduos; entender em maior profundidade, como a velocidade afeta o mecanismo de atenção das pessoas, e quais as ferramentas e ações necessárias para se destacar na infinidade de informações e estímulos atuais.

Relacionamento com consumidores – Visão mais realista e menos “subestimada” dos indivíduos consumidores. Pratica efetiva de agilidade em todos canais de relacionamento com cliente.

“As pessoas estão mais preparadas para a mudança e inovação do que se imagina. Um grande obstáculo é a empresa não acreditar nisso, e não se preparar para acompanhar essas demandas por mudança e inovação (nas empresas/internas e no mercado/externas), que já fazem parte do nosso dia a dia”, conclui a diretora da Officina Sophia Minds & Hearts.

Sigam o Egonotícias no Instagram: @egonoticias

Tags
Show More

Lourdes Castro

Nascida em São Paulo, Capital - SP, Brasil, Formada em Comunicação Social pelas Fiam- Faculdades Integradas Alcântara Machado, Pós Graduada em Administração de Marketing pela Fecap, Especialização em Assessoria de Imprensa pelo Senac. Jornalista, Assessora de Imprensa e Produtora do Programa Fama & Destaque da Apresentadora Viviane Alves, pela TV Guarulhos. MTB 15521

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker