Arte e CulturaENTRETENIMENTO

XII Edição mostra do fomento à dança reúne 25 grupos com 40 atraçoes gratuitas

XII Edição mostra do fomento à dança reúne 25 grupos

XII EDIÇÃO MOSTRA DO FOMENTO À DANÇA REÚNE 25 GRUPOS COM 40 ATRAÇÕES GRATUITAS

 

Evento que acontece de 5 a 14 de novembro, em vários pontos da cidade, aproxima o público dos grupos contemplados nas últimas 3 edições do Fomento à Dança em São Paulo

A Mostra do Fomento à Dança chega à sua XII Edição reunindo artistas, diretores, produtores e todos os envolvidos nos projetos contemplados na 22ª, 23ª e 24ª Edições do Programa Municipal de Fomento à Dança, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

O evento, que acontece de 5 a 14 de novembro, irá apresentar diversas ações ligadas as pesquisas, criações das companhias para concepção dos espetáculos como seminários, oficinas, debates e bate papos, tudo de forma gratuita em diversos pontos da cidade, entre espaços culturais, ruas e praças, fortalecendo o trabalho dos artistas que ajudaram a consolidar a dança como mais uma opção de entretenimento cultural na cidade em 2018.

 

Apresentaçao-dia-13-de-novembro-Cia_Druw_por-Cláudio-Roberto Title category
Crédito: Cláudio Roberto

 

Serão 25 núcleos artísticos com 40 apresentações criadas e pensadas de acordo com as características locais para os diversos pontos da capital. A Mostra tem, portanto, um caráter de força e de união entre os participantes e, acima de tudo, quer difundir a dança contemporânea produzida ao longo dos anos na cidade.

+ Veja mais matérias em: Ray-Ban realiza festa no Mirante 9 de Julho

+ Veja mais videos em: DJ SOUND TV – The Joker @ open Paul Van Dyk, Audio club, São Paulo, Brazil

 

O Fomento é um movimento construído pela classe da dança paulistana, que existe desde 2005. Pode ser considerado uma conquista política, de luta pela arte e fruto da articulação dos artistas locais.

Ao longo das semanas da Mostra, o público confere a ocupação dos espaços pelos grupos que foram de grande importância para a ampliação da dança contemporânea da cidade.

Destaques dia a dia – Mostra do Fomento à Dança

 

Abertura

O grupo Fragmento Urbano vai abrir a mostra no dia 5 de novembro, às 17h, com o Cortejo Jam, que faz parte da pesquisa para o projeto “Encruzilhada”, que é inspirado nas festas negras, festas de dança urbana e claro festas de cortejo.

Grupos de percussão e uma DJ passearão pelas ruas do bairro de Arthur Alvin na Zona Leste, com diversas linguagens das músicas negras, original funk, Hip Hop, afoxé e sampa reggae.

Tudo isso em uma festa que junta a possibilidade de tambores ancestrais e das pick-ups, além de tambores contemporâneos para que o público caia na dança.

 

T.F Title category
Crédito: Divulgação

Seminários

Dois dias de muita informação, opinião e debates sobra os rumos da dança acontecerão em quatro seminários realizados no Centro Cultural da Penha, nos dias 6 e 7 de novembro das 16h às 21h.

Os seminários da “XII Mostra do Fomento à Dança” foram idealizados para promover o debate sobre temas emergentes da linguagem por meio de provações vindas de especialistas do segmento e intervenções artísticas. As mesas de discussão terão pelo menos três convidados e um mediador para discutir as seguintes abordagens: Dramaturgia à Dança, Pluralidade da Dança: Linguagens e Territórios, O impacto da precarização do trabalho do artista: em cena e na forma e fechando A relação entre editais públicos e modos de produção na Dança.

Oficinas de Imersão

 

Em dois dias acontecerão várias oficinas de imersão à dança em dois espaços culturais da cidade. O intuito é discutir os rumos da dança e mostrar trabalhos que resultaram das pesquisas realizadas com o apoio do Fomento.

No dia 8 de novembro das 10h às 19h, a Oficina Cultural Oswald de Andrade receberá cinco grupos artísticos que apresentarão seus espetáculos. São eles: Grupo Lagartixa na Janela, Dança Sem Fronteiras, Oficina Pé no Mundo, Oficina Núcleo de Improvisação e Jam Cia Corpocena.

No dia 9 de novembro o CRD – Centro de Referência à Dança – vai receber três companhias, das 10h às 16h, que vão apresentar seus trabalhos. São elas: Cia Druw, Oficina Criativos Br e Núcleo Entretanto.

Embate Experimento

No dia 10 de novembro, na Galeria Olido, das 14h às 18h, acontece o embate experimento, que tem a proposta de promover um choque de ideiasonde 16 dançarinos e três músicos disputam entre si, sorteando 29 palavras norteadoras de movimentos. A disputa será avaliada por três jurados para definir quem será o vencedor e vai conquistar a prêmio final.

Videodança-dia-12_-Máscaras_Criativos_BR_por_Paulo-Cesar-Junior___ Title category
Crédito: Paulo Cesar Junior

 

Pelas ruas

Além da abertura com o Cortejo Jam do grupo Fragmento Urbano, no dia 11 de novembro as ruas da Zona Leste ficarão em festa com os grupos Núcleo Ximbra, Silenciosas e Cybernétikos, que vão apresentam as margens da Linha Safira da CPTM o Sarau Urutu, das 14h às 21h, como forma de uma assembleia poética, trazendo reflexões de ordem pública ao cotidiano daquele beco periférico na cidade.

 

Mostra de vídeos

No dia 12 de novembro o Espaço Cultural Casa da Vila recebe a Mostra de Vídeodança. Serão exibidos vários trabalhos desenvolvidos por cinco companhias, numa espécie de sessão de cinema com pipoca e refrigerante. Após a exibição dos vídeos vai acontecer um bate papo com os integrantes da Cia da Vila, Damas em Trânsito, Criativos Br, Grua e Sansacroma.

 

Sarau-Urutu___-1 Title category
Crédito: Divulgação

Espetáculos e bate papo

 

Nos dois últimos dias da Mostra do Fomento à Dança acontece no CRD – Centro de Referência a Dança – o encerramento do evento com os vários espetáculos de dança. Após a apresentação do Grupo Divina Dança no dia 13 de novembro, haverá um bate papo antes do fechamento do dia com a Cia Druw. No dia 14, das 17h às 21h, serão exibidos quatro espetáculos de dança das companhias Gumboot, Insaio, T.F Style Cia de Dança e Cia Oito Nova Dança.

Serviço:

XII Mostra do Fomento à Dança – De 5 de novembro a 14 de novembro de 2018

Abertura: Fragmento Urbano – dia 05/11, segunda-feira, 17h, no Espaço Cultural Adebankê

Rua Durande, 175 Arthur Alvim – ao lado do Metrô Arthur Alvim

Locais de realização

Centro de Referência da Dança – CRD (Baixos do Viaduto do Chá s.n., Galeria Formosa – Centro | Tel. 3214 3249;

Cia da Vila (Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 943B Vila Guarani – Tel. 5017.3280

Urutu (Rua Urutu – Jardim Matarazzo, São Paulo)

Centro Cultural Oswald de Andrade Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro Tel: 3222-2662

Centro Cultural da Penha – Largo do Rosário, 20 – Penha de Franca, São Paulo Tel. 2295-0401

Galeria Olido (Av. São João, 473 – Centro – Tel: 3331-8399

Espaço Cultural Cia da Vila: Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 943B – Vila Guarani Tel:5017.3280

PROGRAMAÇÃO | 12° MOSTRA FOMENTO À DANÇA

Abertura | 5 de novembro de 2018

Espaço Cultural Adebankê | 17h | 1h30 min | livre

Concentração | 16h30 (Viaduto Metrô Arthur Alvim)

 

Fragmento Urbano | Cortejo Jam

Parte da pesquisa Encruzilhada inspirado na ancestralidade das festas negras, cortejos e dança urbana.  O Movimento propõe linguagens das músicas negras, original funk, Hip Hop, afoxé, sampa reggae

Ficha técnica: Grupo Fragmento Urbano, Percussão Grupo Batakerê e Pretas Bàs , DJ Miria Alves, Técnico de som: Cic Morais

6 de novembro | Seminário das 16h às 21h | Centro Cultural da Penha

16h30 – Dramaturgia da Dança

Mesa: Renan Marcondes, Liliane de Grammont e Mariana MunizMediador: Luiz Bongiovanni

A mesa é composta pelo artista visual e performer Renan Marcondes junto com as bailarinas e coreógrafas Liliane de Grammont e Mariana Muniz, com mediação de Luiz Bongiovanni professor do MBA em Dança da Faculdade Inspirar e diretor e coreógrafo do Núcleo de Pesquisa Mercearia de ideias.

Intervenção artística: Núcleo Mercearia de Ideias e Raça Cia de Dança

19h00 – Pluralidades – Linguagens e Território

Mesa: Douglas Iesus, Carol Ewaci e Manuel Vitor.  Mediador: Rodrigo Cândido 

Mesa composta pelo dançarino, diretor e coordenador do Grupo Fragmento Urbano Douglas Iesus. Carol Ewaci desenvolve programas de visibilidade da população negra na Zona Leste. Manuel Vitor, dançarino a pesquisador sobre dança nas margens da cidade e integrante do Anomia Coletivo. Com mediação do diretor artístico e interprete da Cia Diversidança Rodrigo Cândico.

Intervenção artística: Cia da Vila

7 de novembro de 2018 | Seminário das 16h às 21h | Centro Cultural da Penha

16h30 – O Impacto da Precarização do Trabalho do Artista: Em Cena e na Formação

Mesa: Marisa Lambert, Renan Rodrigues e Ronaldo Serruya. Mediadoras: Marília Costa e Kelly Yamashita.

Com Marisa Lambert, professora e coordenadora do Depto de Artes Corporais do Instituto de Artes da Unicamp. Renan Rodrigues, diretor geral do Grupo Raça e fundador do Coletivo Proscênio. Ronaldo Serruya, orientador de dramaturgia do projeto espetáculo da Fábricas de Cultura, projeto do governo do estado de SP, em Cidade Tiradentes e participou do Núcleo de Dramaturgia do SESI. A mediação fica por conta de Marilia Costa e Kelly Yamashita

Intervenção artística: Núcleo Pedro Costa Cia de Dança e Intuição Companhia de Ballet

19h00 – A Relação entre Editais Públicos e Modos de Produção

Mesa: Talita Bretas, Natalia Tresembreque, Vanessa Macedo. Mediadora: Jonava de Castro

Talita Bretas, idealizadora e diretora executiva do Instituto Museu da Dança, fundado em 2014, uma organização social voltada para a preservação da memória da dança brasileira. Natalia Tresembreque, gestora Cultural pós-graduada pelo SENAC, advogada formada pela PUC-SP e especialista em Direito Tributário. E idealizadora e diretora executiva do Instituto Museu da Dança, uma organização social voltada para a preservação da memória da dança brasileira. Vanessa Macedo, pesquisadora sobre dramaturgia em dança e autobiografia nas artes como linguagem cênica. É atuante na área das políticas culturais e ministra palestras. Jonava de Castro, jornalista e coordenadora o labExperimental.org e colaboradora no Condomínio Cultural e no Instituto Update.

Intervenção artística: Cia Fragmento de Dança

PROGRAMAÇÃO OFICINAS, WORKSHOPS, PALESTRAS E BATE-PAPO E MOSTRA DE VÍDEOS

8 de novembro | Imersão das 10h às 19h | Centro Cultural Oswald de Andrade

10h – Grupo Lagartixa na Janela:  Deriva e Jogo Aberto/ Breves Partituras para muitas calçadas

O Jogo Aberto de Breves Partituras para muitas Calçadas dialoga com o espaço urbano, onde a calçada foi o elemento de pesquisa da criação da performance. Será realizado uma breve conversa e aquecimento com os participantes, seguido de uma deriva pela Rua Três Rios, finalizando com o Jogo Aberto no Largo do Metrô Tiradentes.

Ficha técnica:
Idealização e Coordenação Geral: Uxa Xavier | Performers: Aline Bonamin, Bárbara Schil, Suzana Bayona, Tatiana Cotrim e Thais Ushirobira | Produção Geral: MoviCena Produções

12h- Grupo Dança sem Fronteiras: Jam para todos

O Grupo Cia Dança sem Fronteiras vem desenvolvendo desde sua criação, a prática democrática para incluir pessoas de todas as idades com habilidades e características físicas, motoras e intelectuais diversas, incentivando a transformação da ação através da reflexão e da experiência.

Ficha Técnica:

Coordenação, direção e bailarina: Fernanda Amaral Bailarinos: Ana Mesquita, Gabriel Domingues, Gustav Coubert, Lucineia Felipe dos Santos, Maiara Roquetti e Rafael Barbosa. Produção: MoviCena Produções

13h30 – Almoço

14h30 – Oficina Pé no Mundo

Oficina de Compartilhamento de Processo e práticas do espetáculo Arquivo Negro – Passos Largos em Caminhos Estreitos. Inspirado em histórias de personalidades negras que, mesmo vivendo situações de extrema adversidade devido aos estigmas gerados pela escravização de negros e pelo racismo histórico no território brasileiro, destacaram-se e influenciaram a história e a cultura nacional.

Ficha Técnica:
A oficina será dada pelos diretores e coreógrafos do espetáculo: Cláudia Nwabasili e Roges Douglas.

16h30 Núcleo de Improvisação – Oficina Núcleo de Improvisação

As Oficinas Interdisciplinares são mais um espaço para compartilhar o conhecimento e procuram articular o estudo de procedimentos corporais e suas possíveis relações com outros elementos, em busca da construção de sentidos.

Ficha Técnica:
Coordenação Geral: Zélia Monteiro Bailarinos: Marcela Paez, Mel Balmonte, Paulo Carpino e Vitor Vieira Iluminação: Hernandes de Oliveira Produção Geral: MoviCena Produções

18h30 Cia Corpocena – Jam Corpocena

O que são poéticas de resistência em dança? A partir desta pergunta a Cia convida artistas da dança e interessados a compartilhar desta Jam, experimentando estratégias coreográficas investigadas no processo de criação do seu espetáculo #poéticasderesistência. A Corpocena propõe um desafio para esta jam, que cada bailarino convide pelo menos uma pessoa participar deste encontro.

Ficha Técnica: Com Cristiane Santos, Valquiria Vieira, Cláudio Borici Junior, Rafael Souza.

9 de novembro | Imersão 10h às 19h |Centro de Referência a Dança

10h00 – Oficina Espaço Aberto – Cia Druw (Contrapartida)

Um espaço democrático que irá reunir artistas da dança interessados na discussão de temas pertinentes a essa pesquisa. Um encontro com a classe artística e demais interessados para a apresentação pública dos resultados parciais da pesquisa como EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS.

Ficha Técnica: Com Alessandra Fioravanti, Felipe Sacon, Guilherme Nunes, Orlando Dantas, Emilia Gomes, Paula D’Ajello. Direção Miriam Druwe

12h00 – Almoço

 

14h00 – Oficina Criativos Br

Com ênfase na técnica de Martha Graham, a oficina irá apresentar a beleza que a encantava no ser humano, com movimentos que traduzem o pulsar da vida.

A inspiração e a expiração, o crescer e o se abrir, o contrair e o soltar, do tronco às extremidades, como uma árvore e seus arbustos que tem na raiz a energia vital. Assim, os movimentos começam ao chão e vão evoluindo até as sequências coreográficas.

Ficha Técnica: Com Fernanda Fontes, Sofie Andersen, Suzana Andersen.

16h00 – Núcleo Entretanto

O QUE TE MOVE? A oficina propõe modos de investigação de uma escrita de movimento a fim organizar e pensar uma estrutura para a dança sem uma gramática pré-estabelecida.

No encontro será fomentado um diálogo sobre questões do corpo buscando proposições corporais que desestabilizem caminhos recorrentes dos criadores elaborando instruções e discussões que potencializem os campos de ação para a construção de uma dramaturgia do corpo.

 

Ficha Técnica: Com Wellington Duarte

 

10 de novembro de 2018| Embate Experimento das 14h às 18h | Galeria Olido

O embate experimento tem a proposta de promover um choque de ideiasonde 16 dançarinos e 3 músicos disputam entre si, sorteando 29 palavras norteadoras de movimentos. A disputa será avaliada por 3 jurados para definir quem vai conquistar a premiação final.

Ficha Técnica – Morgana Apuama, Gabriel Woelke e Liliane de Grammont e Bailarinos do Art Battle com Coletivo The Paint Crew

 

11 de novembro de 2018| Sarau Urutu das 14h às 21h | Urutu 

O Sarau Urutu é um sarau de resistência e será realizado em rua homônima localizada à margem da linha safira da CPTM, e propõe de forma poética uma reflexão sobre o cotidiano de migrantes nordestinos que ocuparam aquelas terras e ergueram suas casas às próprias custas – recebem a notícia de desapropriação para a construção de uma nova estação de trem.

Ficha Técnica: Oscarina Santos, Yasmin Ribeiro, Edson Lima, Joelma Souza e Edi Oliveira

 

12 de novembro de 2018| Videodança das 16h às 21h | Espaço Cultural Casa da Vila

16h00 – Workshop: Damas em Trânsito

Contato Improvisação é uma forma de dança baseada no diálogo do peso, equilíbrio, reflexo, impulso e entre dois corpos em movimento que estão em contato físico.

19h30 – Bate Papo com integrantes dos grupos com Damas em Trânsito, Criativos Br, Cia da Vila, Grua e Sansacroma

 

Construção

Uma dança que se trata de um quadro a quadro de movimentos que refletem os traços presentes em uma obra. Pautada por movimentos rígidos, marcados e acrobáticos, a história se entrelaça em um contraste entre o belo e o rústico.

Duração: 5 minutos | Bailarinas: Fernanda Fontes & Sofie Andersen Coreógrafa: Suzana Andersen | Dirigido por Willy Produzido por Rodrigo Ohara DoP por Ramón Vasconcelos | Equipe de Produção: / Giulia Costa / Luiza Medeiros / William Kim | Beleza: Letícia Prestes |Identidade Visual: Gabriela Pessoa |Realização: Grupo Nuances

Água

Dança inspirada no próprio elemento natural. O número conta com uma movimentação fluida em um universo quase mágico.

Duração: 5 minutos | Coreógrafa: Suzana Andersen Bailarinas: Alessandra Dabdab, Ana Carolina Naccache, Andrea Denys, Carolina Orfaly, Fernanda Fontes, Fernanda Padilha, Sofie Andersen, Suzana Andersen — Design de Beleza: Anderson Bueno Equipe de Beleza: Alexandra Xavier Elaine Donini Fátima Heberaldo — Direção: Willy Hajli Assistente: Luigi Parisi Fotografia: Camillo Esquirra Mario Savi Ramon Vasconcelos Produção: Rodrigo Ohara Edição: Rodrigo Ohara Willy Hajli |Realização: Grupo Nuances

Ingenuidade

Em tempos líquidos, vivemos cada vez mais isolados e muitas vezes esquecendo o real sentido da vida. É preciso resgatar a simplicidade das coisas, a natureza, nossa criança interior.

Ficha técnica

Diretora Geral e Roteirista Andréa Denys |Coreografa: Aline Yaeko.| Bailarinas: Alycia Manuela Gama Silva, Vitória Ferreira da Silva | Diretor de Cena: Adiel Hazaitz |Diretor de Fotografia e edição: Paulo César Junior | Sonorização: Joao Marcos da Silva |Realização: Criativosbr

Máscaras

Para nos ajustarmos a sociedade, quantas máscaras colocamos, máscaras tão antigas, que muitas vezes, faz com que nossa real essência se perca dentro de nós? Arrancar essas máscaras, nos fará respirar novamente e viver a autenticidade e plenitude de sermos quem fomos criados para sermos. Nós!

Ficha técnica

Diretora Geral e Roteirista Andréa Denys | Direção coreografica:Suzana Andersen, coreografia: bailarinas interpretes. Bailarinas: Aline Yaeko, Andrea Denys.| Diretor de Cena: Adiel Hazaitz

Diretor de Fotografia e edição: Paulo César Junior| Sonorização: João Marcos da Silva

Realização: Criativos.br

 

Amor em 4 atos: Inspirado no conto de Honoré de Balzac, Um Amor no Deserto, utilizando como referência o mito do Narciso, o videodança da Cia da Vila, “Amor em 4 Atos” conta a história de amor entre uma pantera e um general perdido no deserto. A história permeia diferentes tipos de amor e ressalta os sentimentos, principalmente voltados aos quatro atos; o instinto, narcisista, desejo e entre pares.

Selecionado no Festival D’Olhar de Goiânia 2016, Selecionado no Festival Dança em Foco 2017, selecionado no BANG – Festival de Videoarte de Barcelona, entre outros.

Ficha-técnica

Duração: 13 minutos |Direção: Priscila Magalhães e João Leão | Coreografia: Juliana Kis e criação coletiva | Direção de Imagem / fotografia/montagem: João Leão | Direção Produção: Pauliana Reis | Ass. Produção: Paula Reis | MKO: Thamy Cabral | Produção: Frame Forte Filmes / Bronca Filmes | Bailarinos: Thamires Núbia , Daru Liberato, Julio Françozo, Giovanna Bertolucci e Cris Rother. |Música original e produção musical: Rafael Thomazini | Co-produção musical Vinicius Scorza

 

Domingo:

O Amor brega, piegas, cafona, narrado na poesia e coreografado pela Cia da Vila com o bailarino Julio Françozo vem à tona nessa produção. Um término de relacionamento e a ressureição após é o tema central de “Domingo”. Vídeodança produzido como material de pesquisa para montagem do segundo espetáculo da série “Amor em 4 Atos”.  2º lugar no prêmio da Semana Paulista de Curta Metragem CCSP – 2016 – Categoria Videoarte em Dança, Menção honrosa no Festival D’Olhar de Goiânia 2016, Selecionado no Festival Dança em Foco 2017, selecionado no BANG – Festival de Videoarte de Barcelona, entre outros.

Ficha Técnica

Duração: 5 minutos| Direção e edição: Priscila Magalhães | Bailarino: Júlio Françozo |Fotografia: Bia Onofre e Thamara Lage|Produção: Pauliana Reis |Locação: Casa Amarela

Topo do Mundo: O videodança gravado na cidade de Brumadinho – MG, parte de uma pesquisa sobre o artista plástico brasileiro Tunga, e sua intersecção com o amor e as relações contraditórias.

Ficha Técnica

Duração: 12 minutos| Direção: Priscila Magalhães |Direção de Imagem / fotografia/montagem: João Leão | Coreografia: Liliane de Grammont| Produção: Frame Forte Filmes / Bronca Filmes

Bailarinos: Daru Liberato, Julio Françozo, Rebeca Tadiello, Clara Hornis e Cristina Rother.

Música original e produção musical: Ed Côrtes

mEU: O trabalho dá seguimento a pesquisa do amor na perspectiva da contradição, criando pequenos trabalhos em videodança.

 

Ficha Técnica

Duração: 2 minutos| Direção: Priscila Magalhães |Direção de Imagem / fotografia/montagem: João Leão | Coreografia: Liliane de Grammont| Produção: Frame Forte Filmes / Bronca Filmes

Bailarino: Daru Liberato |Música original e produção musical: Ed Côrtes

Trançar: O trabalho dá seguimento a pesquisa do amor na perspectiva da contradição, criando pequenos trabalhos em videodança.

Ficha Técnica

Duração: 3 minutos | Direção: Priscila Magalhães |Direção de Imagem / fotografia/montagem: João Leão | Coreografia: Liliane de Grammont| Produção: Frame Forte Filmes / Bronca Filmes

Bailarinos: Daru Liberato, Julio Françozo, Rebeca Tadiello, Clara Hornis e Cristina Rother.

Música original e produção musical: Ed Côrtes

Teresas: As “teresas” são tranças feitas com tecidos diversos como lençóis, fronhas, toalhas, etc, utilizados em presídios e manicômios, tranças direcionadas a fuga. Uma fuga para um outro estado. Produzido em plano sequência, “Teresas” convida o espectador a passear pelos cômodos da casa, como um voyeur, observando a intimidade de cada um, em um local onde as relações se entrelaçam e permanecem ali, como um processo cíclico, sem fim.

Ficha Técnica

Duração: 10 minutos|Direção: Priscila Magalhães |Direção de Imagem / fotografia/montagem: João Leão | Coreografia: Liliane de Grammont| Produção: Frame Forte Filmes / Bronca Filmes

Bailarinos: Daru Liberato, Julio Françozo, Rebeca Tadiello, Clara Hornis e Cristina Rother.

Música original e produção musical: Ed Côrtes

Ruas e Rios resgata intervenções, cenas e imagens desenvolvidas na criação do espetáculo Espaços Invisíveis da Cia. Criado à partir de intervenções cênicas realizadas nas ruas de São Paulo, traz os diversos olhares e relações de cada intérprete-criador com a cidade, procurando evidenciar não apenas aquilo que está visível, como, sobretudo, aquilo que está submerso e invisível na imaginação da cidade. Assim como os seus rios, que estão em sua maioria invisíveis, encanados, escondidos e contidos, que estão prestes à transbordar, sendo o corpo e a dança o meio para isso.

Ficha Técnica:

Duração: 45 Minutos |Direção: Alex Ratton Sanchez| Intérpretes-criadores: Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Laila Padovan E Larissa Salgado | Direção De Fotografia: Filipe Augusto| Edição: Vinícius Paulino E Alex Ratton Sanchez|Trilha Sonora: Gregory Slivar E Cia. Damas Em Trânsito E Os Bucaneiros | Figurino: Fause Haten| Produção: Paula Sassi|Preparação Corporal: Cristiano Karnas |Still: Clarissa Lambert| Workshop: Silvia Leblon (Palhaço) E Andrea Drigo (Voz) |Participação Especial: Bruno Duarte, Evandro Gonçalvez E Ricardo Aparecido Da Silva. | Figuração: Ana Terra E Arlinda Oliveira

Sete convoca a percepção para o outro na experiência do encontro. Afeto, vulnerabilidade – 7 homens. Juntos? Como? Corpos plurais atentos as diferenças, que se dispõem o sensível como possibilidade de questionar seus fazeres, de performar uma ação, de performar um comum.

Ficha Técnica Duração: 60 minutos |Ficha técnica do grupo – GURA| Direção – Jorge Garcia, Osmar Zampieri e Willy Helm |Criação coletiva – Alexandre Magno, Fernando Martins, Henrique Lima, Jerônimo Bittencourt, Jorge Garcia, Osmar Zampieri, Roberto Alencar. |Figurino – João Pimenta| Colaboração artística: Ana Teixeira |Fotos: Silvia Machado e Leandro Moraes

Produção Grua – Corpo Rastreado

13 de novembro | Espetáculos das 19h às 22h | Centro de Referência a Dança

19h Grupo Divinadança – Espetáculo Binário: Atividade interativa onde o público presente é convidado a participar. Na performance o sensor de movimento Kinect capta os movimentos pré-estabelecidos criados a partir de programação do software e do movimento corporal dos bailarinos, que através dessa leitura, elementos gráficos surgem criando imagens distintas. Instruídos pelo elenco o Grupo Divinadança propõe um exercício de compartilhamento entre o humano e a máquina dentre outras trocas enriquecedoras. Esta interatividade permite que o público leigo e de qualquer idade.

 

19h20 – Bate papo sobre Dança e Tecnologia

 

20h – Cia Druw – Dali, daqui ou de lá? Espetáculo infanto-juvenil tem inspiração nos procedimentos do movimento surrealista como imagens poéticas, humor, sonho e imaginação em uma composição lúdica e poética utilizando elementos das obras dos pintores Magritte, Salvador Dalí, Frida Kahlo e livre criação da Cia Druw. – Direção Miriam Druw

Ficha técnica: Bailarinos: Alessandra Fioravanti, Felipe Sacon, Guilherme Nunes, Emilia Gomes, Paula D’ajello, Orlando Dantas | Direção: Miriam Druw |Iluminação: Tomate SaraivaVideo: Luciana RamimProdução Executiva: Aleteia Barros

14 de novembro | Espetáculo das 17h às 22h |Centro de Referência a Dança

17h – Gumboot Dance – Gumboot (dança de botas de borracha) é uma forma de dança popular criada pelos trabalhadores no século XIX nas minas de ouro e de carvão da África do Sul. Yebo é o segundo espetáculo do Grupo Gumboot Dance Brasil, que aborda a exploração, tanto das minas como dos sete povos levados para extração do minério, a criação de um dialeto sonoro a partir das batidas nas botas de borracha, a espera das mulheres por seus maridos mineiros durante a temporada de exploração das minas.

Ficha Técnica: Direção Geral: Rubens Oliveira Direção Musical: Lenna Bahule Pesquisa e argumento: Rubens Oliveira| Elenco: Danilo Nonato Diego Henrique Fernando Ramos Lenna Bahule Munique Mendes Naruna Costa Pablo Araripe Pâmela Ammy Rafael Oliveira Rubens Oliveira Samira Marana Silvana de Jesus Washington Gabriel | Músicos: Eduardo Marmo – Mauricio Oliveira | Produtor: Kelson Barros

18h – Ato Infinito INSAIO traz, num espaço em colapso, corpos que insistem após o desmoronamento. As existências ganham urgências diante de um risco iminente, ou acontecido, ou suposto, ou anunciado. Bordas e centros tornam-se móveis. Aglutinar-se é uma necessidade para resistir, existir até a exaustão.

Ficha Técnica: Direção artística e concepção: Claudia Palma | Intérpretes criadores: Carolina Canteli / Cristina Ávila / Everton Ferreira / Luiza Alves / Marina Matheus / Natália Franciscone|  Trilha sonora: Guilherme Marques| Desenho de luz: Hernandes de Oliveira | Filosofia: Rodrigo Vilalba | Ambientação cenográfica: Suiá Ferlauto | Figurinos: Rogério Romualdo | Fotografias: Claudio Higa | Registro em vídeo: Osmar Zampieri | Design gráfico: Hernandes de Oliveira|  Assessoria de imprensa: Elaine Calux | Produção: Cristiane Klein – Dionísio | Produção Cultural Assistência de Produção: Cristina Ávila

19h – T.F. Style Cia de Dança – Sob a Pele: “Existo. E, na pele, minha existência concretiza-se em constante relação entre corpo e cidade. Pele. O maior órgão do corpo humano. Sensível ao toque e à temperatura. Por ela transpiro, sinto prazer, respiro… Nela carrego minhas memórias, lugar onde se imprimem marcas, cicatrizes. E o tempo. Protege meu interior, delimita minha relação com o ambiente. Quais sensações meu corpo percebe potencializadas pela cidade? Quais opressões, medos e angústias o ambiente urbano me proporciona? Esta obra busca refletir sobre as várias percepções sentidas, profundamente, sob a pele.”

Ficha Técnica: Direção Geral e Concepção: Igor Gasparini | Direção Artística: Frank Tavantti Provocações: Isis Gasparini, Robson Ferraz e Thiago Alixandre | Elenco: Arthur Alves, Edvan Gonçalves, Igor Gasparini, Luiz Paulo Raguza, Marcia Marcos, Maria Emília Gomes, Maju Kaiser, Pasha Gorbachev e Natália Moura. | Desenho de Luz: Gabi Araújo| Iluminação: Natália Peixoto | Figurinos: David Schumaker

21h – Cia Oito Nova Dança – Juruá: Um dos modos como os Guarani se referem aos não indígenas. É nessa condição, atravessados por encontros com os Guarani Mbya, que nossos corpos e palavras se movimentam nessa criação. A relação que se estabelece pela diferença é a conexão que possibilita aprendizados e alianças.

Ficha Técnica: Concepção e direção geral: Lu Favoreto| Direção Musical: Andrea Drigo intérpretes-criadores (Cia. Oito Nova Dança e convidados): Andrea Drigo, Eros Valério, Gabriel Küster, Gisele Calazans, Lu Favoreto, Marcela Páez, Raoni Garcia, Roberto Alencar e Roberto Gouvêa | Orientação Antropológica e Dramatúrgica: Valéria Macedo | Orientação Guarani: Jera Poty (Giselda), Papa Mirim Poty (Carlos), Cristine Takua, Karai Tataendy (Sergio), Karai Tataendy (Sebastião), Iraci, Evandro e Ara | Figurino: Claudia Schapira | Criação de luz: André Boll | Operação de luz: André Boll | Operação de som: Renato Garcia/Renato Navarro | Registro Audiovisual e Fotográfico: Felipe Teixeira | Assistente de Produção: Lê Vaz Produção Geral: Bianca Dorini

Tags
Show More

Yuri Mine

Nascido em São Paulo Capital – SP. Fotografo no Studio Y.M e Diretor de Fotografia na No Name Filmes, Musico e adorador de tecnologia, motos e carros, sempre a procura de novos desafios e projetos.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker