Arte e CulturaShows

Camerata Florianópolis homenageia 250 anos de Beethoven

Especialmente para o espetáculo, foram selecionadas três de suas principais obras: “As Criaturas de Prometheus”, op. 43, a Sinfonia Nº 4 em Sib maior, Op. 60 e o Concerto para Piano Nº 4 em Sol Maior, Op. 58.

Camerata Florianópolis homenageia 250 anos de Beethoven. Assim sendo, a Camerata Florianópolis apresenta dia 12 de março, às 20h, no Teatro do CIC, o primeiro concerto oficial da Temporada 2020, com programa totalmente dedicado ao compositor Ludwig Van Beethoven, homenageado pelos 250 anos de nascimento.

Camerata Florianópolis homenageia 250 anos de Beethoven
Mozart, Beethoven, Brahms e Mussorgsky – Foto: Tóia Oliveira

Dessa forma, especialmente para o espetáculo, foram selecionadas três de suas principais obras: “As Criaturas de Prometheus”, op. 43, a Sinfonia Nº 4 em Sib maior, Op. 60 e o Concerto para Piano Nº 4 em Sol Maior, Op. 58.

Formação sinfônica completa

Camerata Florianópolis homenageia 250 anos de Beethoven
Adriana Jarvis – Foto: Guto Campos

Portanto, sob a regência do Maestro Jeferson Della Rocca, o concerto conta com a participação da solista norte-americana Adriana Jarvis, convidada especial, que é pianista/cravista do quarteto Avery Ensemble (Estados Unidos), vencedor do American Prize in Chamber Music de 2016. Além disso, a orquestra se apresentará com formação sinfônica completa.

Hoje, com apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Ministério da Cidadania) e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Prefeitura de Florianópolis, via Fundação Franklin Cascaes), tem patrocínio da Intelbras, Iguatemi, Clemar Engenharia e Angeloni, e apoio da Celesc. O evento tem a produção de Maria Elita Pereira. Assista a sinfonia nº 7.

Ludwig Van Beethoven

A saber, Beethoven nasceu em Bonn, Alemanha, dia 16 de dezembro de 1770. Logo, filho e neto de músicos, com apenas cinco anos, sob a orientação rígida do pai, começou a estudar cravo, violino e viola. Já aos 7 anos participou de um recital na Academia de Sternengass.

Em vista disso, com diversos professores, estudou a obra de Bach, aprendeu a tocar órgão e piano e começou a aprender também composições e teoria musical. Assim, aos 11 anos foi nomeado organista-suplente da corte. Posteriormente, aos 13, já era solista de cravo na corte de Bonn. Do mesmo modo, passou a receber a proteção do Príncipe Max Franz, governante de um dos 300 pequenos Estados que formavam o Império da Alemanha. Igualmente, messa época, publicou sua primeira obra: “Nove Variações para Piano sobre uma Marcha de Ernest Christoph Dressler”. Então, com 14 anos publicou “Três Sonatinas para Piano”.

Beethoven & Mozart

Imediatamente, em 1787, ao completar 17 anos, Beethoven seguiu para Viena onde foi recebido por Mozart, que lhe prevê um grande futuro. Em virtude, no ano de 1791, com apenas 21 anos, já desfrutava de prestígio junto à nobreza de Bonn, que não dispensava em suas festas a presença do músico, que pouco frequentou a escola, mas havia cursado a universidade como ouvinte, para adquirir cultura.

Do mesmo modo, em 1792, Beethoven retorna à Viena, em definitivo. Assim, as cartas de apresentação lhe abriram as portas da nobreza local. Dessa forma, o Príncipe Karl Lichnowsky o instalou no palácio e lhe pagava uma pensão. Frequentemente os recitais constituíam o divertimento predileto da nobreza.

Camerata Florianópolis homenageia 250 anos de Beethoven
Abertura da Temporada 2019 – Foto: Tóia Oliveira

Apresentação Pública

Logo depois, as apresentações musicais limitavam-se quase a concertos nos palácios. Desta maneira, só em 1795, Beethoven fez sua primeira apresentação pública, quando executou um concerto para piano que foi delirantemente aplaudido. Logo em seguida publicou “Três Trios para Piano, Violino e Violoncelo, Opus 1”, dedicados ao Príncipe.

Logo depois, em 1796, se apresentou em Praga e em Berlim, onde cumpriu um extenso programa para a corte imperial, do qual constavam “Duas Sonatas para Violoncelo, Opus 5”, escrita especialmente para a ocasião.

Em 1797, estava com 27 anos e crescente prestígio que atraía alunos e convites para recitais, que lhe proporcionava uma folga financeira, e lhe permitia vestir-se elegantemente e até ser sociável.

Grandes sinfonias

Em 1798 surgiram os primeiros sintomas da surdez, mas escondeu o problema de todos. Em 1800, foi o início do período mais brilhante da carreira de Beethoven, quando produziu as grandes sinfonias que lhe dariam imortalidade.

Finalmente, em 1824, apresentou pela primeira vez a “Sinfonia nº 9”. No fim da apresentação uma tempestade de aplausos saudou o gênio. Envelhecido e doente, o compositor já não se empolgava com o êxito e a repercussão de sua música. Ludwig van Beethoven morreu em Viena, Áustria, em 26 de março de 1827.

Leia ainda: Dança em Cena abre inscrições para a edição 2020 em Florianópolis
turismoonline.net.br o portal do turismo, hotelaria, gastronomia, turismo e viagens
turismoonline.net.br – O portal de turismo, hotelaria, gastronomia, cultura, destinos e viagens – Anuncie aqui: colunaonline@gmail.com
Leia mais:
Santa Catarina, inverno em pleno verão?
Final de feridão! Qual será o seu próximo destino?
A culpa é o sentimento mais arraigado em nosso comportamento
Etiquetas

Jefferson Severino

Jeff Severino, lageano, jornalista diplomado - SC-01571-JP, pela - UNISUL - Campus Pedra Branca - SC, profissional por sacerdócio e devoção, além de fotógrafo por paixão (passarela, eventos, mulheres, natureza). Especialista em turismo/gastronomia/hotelaria/destinos turísticos. Eterno viajante. Assessor de Imprensa da Associação Brasileira de Agentes de Viagens-SC. Articulista/colunista/editor/redator/fotógrafo de jornais e revistas e sites nacionais e internacionais. Contato: (48) 99163-7172 - TIM - WhatsApp

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar