Festival

Delegação brasileira é recebida na sede da Embaixada do Brasil em Burkina Faso

A diplomata Regina Bittencourt ofereceu ao grupo um café de primeira grandeza

Delegação brasileira é recebida na sede da Embaixada do Brasil, em Burkina Faso e participa do Fespaco.

Regina Bittencourt com Ivanir dos Santos – Foto Rozangela Silva

Delegação brasileira, coordenada pelo Prof. Dr. Babalawô (UFRJ) composta por intelectuais negros e religiosos de matriz africanas, ficou por um mês, entre Nigéria e Burkina Faso. O grupo foi recebido pela diplomata Regina Bittencourt, que ocupa desde 1914, o cargo de embaixadora em Burkina Faso. Já serviu nas embaixadas do Brasil em Copenhague, La Paz, Budapeste, Manágua, Londres e Port of Spain. Também foi cônsul-adjunta no Consulado-Geral em Miami. Regina ofereceu ao grupo um café de primeira grandeza na sede da Embaixada do Brasil, em Burkina Faso – o país africano faz fronteira com Mali e Gana, situada na região oeste do continente africano, cuja capital é Ouagadougou.

Ivanir dos Santos na entrada do festival – Foto Rozangela Silva

 + LEIA TAMBÉM SOBRE: Tiago Abravanel e Luana Monalisa agitam trio elétrico em Salvador

Ainda em terras burkinabês, o grupo esteve no 26ª edição do Festival Pan-Africano do Cinema e da Televisão de Ouagadougou (FESPACO). Festival mais antigo e importante de cinema no continente africano, que nesse ano, comemorou o 50º aniversário. Saíram de lá encantados com a movimentação em torno do Fespaco, com bastante público e alunos. Além da sessão de cinema, deram uma conferida na feira da Fespaco, onde uma série de barracas do lado de fora, despontavam e apresentavam as práticas alimentares, vestimenta, bijus e afins. Impossível não se fascinar com a infinidades de cores e descobertas da cultura africana.

Barracas de Colares – Foto Rozangela Silva

O 1º Fespaco aconteceu em fevereiro de 1969. De dois em dois anos, a capital de Burkina Faso torna-se o palco principal do cinema africano. Se destaca por aceitar apenas filmes de cineastas africanos e temática negra. O cineasta brasileiro Zózimo Bulbul – um dos maiores expoentes afro-brasileiros do Cinema Novo nas décadas de 60 e 70, já foi homenageado no Fespaco, considerado por ele “A Cannes Africana”.

Vendedor – Foto Rozangela Silva
Entrada Movimentada – Foto Rozangela Silva
Alunos – Foto Rozangela Silva

 

Fonte:  Rozangela Silva

 

Siga o Egonotícias no Instagram: @egonoticias

Lourdes Castro

Nascida em São Paulo, Capital - SP, Brasil, Formada em Comunicação Social pelas Fiam- Faculdades Integradas Alcântara Machado, Pós Graduada em Administração de Marketing pela Fecap, Especialização em Assessoria de Imprensa pelo Senac. Jornalista, Assessora de Imprensa e Produtora do Programa Fama & Destaque da Apresentadora Viviane Alves, pela TV Guarulhos. MTB 15521

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar