Economia e Negócios

Facebook acumula desvalorização de US$ 60 bilhões em dois dias

Em meio a escândalo, Facebook sofre desvalorização

O Facebook ainda está sofrendo com as consequências do escândalo da Cambridge Analytica. Que teve acesso indevido aos dados de 50 milhões de usuários da rede social para utilizá-los na campanha política de Donald Trump. Isso se reflete no valor de mercado da empresa, que está em queda livre.

Se na segunda-feira, 19, a empresa viu sua capitalização de mercado. (valor dado pela multiplicação do valor das ações pela quantidade de papéis em que uma empresa é dividida) . Despencar em cerca de US$ 40 bilhões no ponto mais baixo do dia, nesta terça-feira, 20. As perdas já acumulam cerca de US$ 60 bilhões. Isso em apenas dois dias.

Facebook acumula desvalorização de US$ 60 bilhões em dois dias 1 Facebook acumula desvalorização de US$ 60 bilhões em dois dias 2

Antes de o mercado abrir na segunda-feira, a ação do Facebook valia US$ 185,09, resultando em US$ 538 bilhões em valor de mercado. De lá para cá, o papel foi até a casa dos US$ 161,95 na mínima desta terça-feira (até o momento em que este texto é escrito). Com uma queda de 12,5% no valor do Facebook, resultando em um novo valor de capitalização de mercado de US$ 477 bilhões.

Assista o Vídeo: Facebook sofre desvalorização

+LEIA MAIS: Carro Tesla Roadster é lançado ao espaço no superfoguete Falcon Heavy

O problema

Se o estudo conduzido por Kogan era amparado pela política de privacidade do Facebook, onde está o problema? De acordo com o The Guardian. O Facebook permite apenas que as informações de amigos de pessoas que autorizam ceder os seus próprios dados. Sejam usadas para aprimorar a experiência de usuário.

Isso significa que a companhia de Mark Zuckerberg proíbe de maneira expressa que esses dados sejam comercializados ou utilizados para fins de publicidade. Além disso, a Cambridge Analytica não poderia armazenar as informações dos usuários, algo que ela alega não ter feito.

Campanha de Donald Trump usou informações de usuários do Facebook obtidas de forma ilegal para direcionar eleitores.
Campanha de Donald Trump usou informações de usuários do Facebook obtidas de forma ilegal para direcionar eleitores.

Em comunicado, a Cambridge Analytica afirmou “cumprir totalmente” os termos de uso do Facebook e também não utilizar ou manter armazenados dados da rede. A companhia alega ainda que contratou a GSR, empresa de Kogan, “para obter dados de acordo com a Lei de Proteção de Dados do Reino Unido”. E que as informações foram obtidas com o consentimento dos usuários.

 

Tenha sua marca vista por milhares de pessoas diariamente na internet!
Tenha sua marca vista por milhares de pessoas diariamente na internet!

Rodolfo Bracali

Nascido na Argentina, Rodolfo Bracali mora no Brasil a 19 anos. Como Jornalista. Gerador de Conteúdo, Publicação de Artigos, Apresentador do Programa Momentos no Canal EgoTV.Tudo isso você pode acompanhar nos meus espaços na Web. WhatsApp: +55 31- 9 9885-9387 / 9 9714 - 6422 - VIVO - e-mail: rcb539@gmail.com - Belo Horizonte- MG

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar